Não basta lavar bem as mãos, também é preciso higienizar as compras: conheça alguns cuidados nesse sentido se proteger da Covid 19

O distanciamento social é uma das principais recomendações dos órgãos de saúde para evitar a disseminação ainda maior do novo coronavírus (Covid-19). Lavar frequentemente as mãos com água e sabão ou usar álcool gel; usar máscara sempre que sair de casa, especialmente em locais poucos ventilados; e evitar tocar no rosto são outras orientações das autoridades no assunto. Todavia, não é só isso — não se pode esquecer de tomar os devidos cuidados também com as compras que “vem da rua”.

Isso mesmo, a higienização de tudo que vem de fora — seja do mercado, da farmácia, da feira ou de outros locais — é fundamental e precisa de atenção. Isso porque, segundo as notícias dos especialistas, sacos plásticos e demais embalagens também podem servir como meio de contaminação para a Covid-19. Ou seja, a transmissão acontece, sim, somente de pessoa para pessoa, mas pode ser tanto de forma direta (tendo contato quem está contaminado) quanto indireta (tendo contato com uma superfície contaminada por alguém que está contaminado e levar as mãos não higienizadas ao rosto, por exemplo).

De acordo com o infectologista Jean Gorinchteyn, do Hospital Emílio Ribas, de São Paulo, água e sabão já são suficientes para limpar itens que vêm em embalagens de plástico, como é o caso dos produtos de limpeza. Já para higienizar os produtos que são à base de papelão, um pano umedecido com um pouco de álcool a 70% funciona bem — “passa o pano e pode colocar no armário de forma tranquila”, afirma ele.

As frutas e legumes, por sua vez, precisam ser deixados em um recipiente com água e quatro gotas de hipoclorito de sódio, orienta Gorinchteyn — “mantém por cinco ou dez minutos, depois despreza essa água e lava com água corrente normalmente”, acrescenta o infectologista.

Para os casos das carnes, os cuidados também devem ser com as embalagens, e não com o conteúdo em si, alerta Jean Gorinchteyn — “então, chego em casa, abro essas embalagens de forma cuidadosa e já jogo no lixo. Lavo a mão com água e sabão, porque vou estar do lado da pia, e coloco [a carne] em outro recipiente no qual eu possa guardar na geladeira”, esclarece.

De acordo com Gorinchteyn, ainda é preciso ter cuidado com as sacolas plásticas — o mais indicado é descartá-las, assim como as embalagens de papel, uma vez que não se sabe quem e quantos manipularam esses itens recentemente, conclui o infectologista Hospital Emílio Ribas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *