ExoMars 2020 tem o risco de ser adiada por falhas técnicas

De acordo com a Agência Espacial Europeia (ESA), a missão ExoMars está com um problema difícil de ser resolvido em seu sistema de paraquedas, o que pode causar um atraso no projeto que pretende voar até Marte no verão do Hemisfério Norte de 2020.

Planejada pela ESA e pelo serviço espacial da Rússia, essa missão considerada ambiciosa pretende mantar até o Planeta Vermelho um robô móvel desenvolvido inteiramente na Europa, o qual deverá perfurar o solo local e tentar descobrir mais informações sobre a existência de vida marciana no passado. Dentro desse projeto, a Rússia ficou encarregada pelo veículo de lançamento e a plataforma de pouso, e de forma conjunta com a ESA, na preparação do módulo de descida, que é o que está apresentando os problemas técnicos.

Caso consiga seguir o cronograma previsto, a missão terá início a partir do lançamento do foguete russo Proton, entre julho e agosto de 2020. Desse modo, a previsão é que a chegada em Marte aconteça em março de 2021. Como o sistema paraquedas está com falhas, a equipe responsável pelo projeto está em uma verdadeira viagem contra o tempo para que não haja atrasos.

Em um teste realizado no início de agosto, o maior entre os quatro paraquedas necessários para que o robô e o seu módulo pousem de forma suave na superfície de Marte, não apresentou o desempenho esperado. Em um teste prévio, os quatro paraquedas abriram, mas as velas de dois deles rasgaram durante o procedimento.

Segundo notícias divulgadas na imprensa internacional, as equipes da ESA e do serviço espacial russo já fizeram revisões no design do modelo, mas apesar das primeiras etapas no último teste terem transcorrido da forma esperada, a vela continuou sofrendo antes do momento de o paraquedas abrir, o que coloca em risco toda a missão.

De acordo com o chefe do programa ExoMars, François Spoto, nesse momento existe uma grande mobilização entre a equipe para vencer essa batalha contra o relógio. O próximo teste deverá acontecer entre os meses de novembro e dezembro, nos Estados Unidos, e o último antes da decolagem, em fevereiro de 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *