Empreendedores dão dicas de como empreender no mercado de games

Na ultima década, o mercado de games no Brasil cresceu tanto a ponto de se tornar o quarto maior do mundo ao conseguir faturar 1,4 bilhões de dólares ao ano. Antes desse período a movimentação de games no país era feita através de pirataria de mídias físicas e digitais. No dia 21/10 ocorreu o Festival de Cultura Empreendedora que foi financiado pelas respectivas empresas: Pequenas Empresas & Grandes Negócios, Época Negócios e Valor Econômico. Durante o painel alguns especialistas deram dicas sobre como empreender nesse ramo.

Escolha a sua fatia do mercado

Os especialistas ressaltaram sobre a importância de explorar algum nicho que ainda não esteja muito saturado. Ele deu um exemplo apontando que o mercado de games para crianças no Brasil ainda é pouco desenvolvido e que hoje ainda não existem boas opções infantis disponíveis.

Escolha como faturar

Antes de começar a desenvolver o game é necessário escolher a forma de rentabilização que será usado para alinhar o jogo e o metodo de faturamento. Eles disseram que no Brasil a maior parte das empresas disponibiliza o game gratuito e faturam com a visualização de propagandas.

Trabalhe com o mercado exterior

Procure explorar o mercado fora do Brasil, pois é onde o grosso do faturamento se encontra. De acordo com eles, 70% a 80% da receita bruta das desenvolvedoras brasileiras originam de fontes internacionais.

Antecipe-se ao mercado

Considerando a demora na produção de um game, é importante que os desenvolvedores estejam antenados com as tecnologias futuras, pois as do presente podem não estar mais na “moda” no lançamento do jogo. Eles indicam as avaliações dos early adopters, que são consumidores que testam futuras tecnologias para antecipar as que irão fazer sucesso no futuro.

Estude como administrar um negócio

Não basta apenas conhecer bem o processo de criação e desenvolvimento de um jogo, mas também um conhecimento solido de como administrar uma empresa, para que o projeto “não morra na praia”. Outro ponto interessante falado foi à necessidade se separar o hobby do negócio. Os desenvolvedores não devem criar games apenas guiados pelo seu gosto pessoal e sim pelas necessidades e demandas do mercado.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *