Mercado Livre vai armazenar e distribuir os seus produtos visando se tornar mais competitivo

Está sendo lançado pelo Mercado Livre, um serviço para que possam ser feitos armazenamentos e também a distribuição, dos produtos que são oferecidos pela companhia. Apesar desse serviço ainda se mostrar restrito ao campo da logística, ele é muito significativo em relação ao atual quadro competitivo da propagação da quantidade de empresas, que oferecem plataformas de  marketplace,  que é um shopping on-line em que outros vendedores fazem negócios com os seus produtos.

Cuidar da parte do estoque, nunca foi a área do Mercado Livre. Atualmente, ela é uma das principais empresas do segmento de e-commerce no país, sendo que ela não possui os seus próprios produtos. Os vendedores são clientes do Mercado Livre, e oferecem os seus produtos para que a plataforma possa fazer a comercialização deles.

Essa situação vai ser alterada quando acontecer o lançamento no Mercado Livre do fulfillment, que é um serviço que desempenha a função do armazenamento, da embalagem e também da entrega das mercadorias de diversos vendedores. Isso irá funcionar em um centro, onde essa distribuição possa ser realizada, e serão incluídos também, os serviços de pós-venda e o atendimento ao cliente.

Empresas parceiras fazem essas operações de distribuição e também o transporte, mas a gestão vai passar a ser feita pelo Mercado Livre, deixando de ser responsabilidade do vendedor do produto.

O Mercado Livre possui um centro para fazer a distribuição em Louveira, na cidade de Campinas, que iniciará atendendo cerca de 130 vendedores, escolhidos entre os que apresentavam um maior volume de vendas de produtos. As mercadorias ainda vão pertencer a outros, mas esse serviço aproxima mais o Mercado Livre, de outras grandes companhias desse setor.

O diretor do Mercado Envios, Leandro Bassoi, que é um braço logístico da empresa, falou que esse serviço irá começar aos poucos, mas que com o passar do tempo, ele possa se tornar uma parcela significativa nas vendas futuras, além de acreditar que outros centros de distribuição, possam ser abertos futuramente no país.

Com essa nova atuação no mercado, o Mercado Livre passa a se tornar mais parecido com as empresas que têm estoque próprios, e que estão aumentando as suas

operações de marketplace, como é o caso do Magazine Luiza, do B2W, e da Via Varejo.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *