Aprenda mais sobre a trajetória da JHSF

Fundada no ano de 1972 pelos irmão José Roberto Auriemo e Fábio Auriemo com mais dois sócios, a empresa surgiu com o nome de JHS, e atuava principalmente na área da construção. Anos depois, os dois irmãos discordaram na maneira como acreditavam que os negócios deveriam ser gerenciados e, por esse motivo, optaram por desfazer a sociedade. Desse momento em diante, a JHS passou a se chamar JHSF, tendo o executivo Fábio Auriemo no cargo de presidente.

Após essa grande mudança, Fábio Auriemo tomou a decisão de mudar o foco da empresa para o ramo da incorporação, que crescia de forma considerável na década de 90. Nos dias de hoje, cerca de 90% dos lucros da empresa são vindos da área da incorporação, o que demonstra que esse novo negócio acabou sendo bastante lucrativo. Para atuar dessa forma, a JHSF formou parcerias com empresas terceirizadas do ramo da construção para que os projetos pudessem ser desenvolvidos.

Desde então, a incorporadora passou a adotar a prática do “preço máximo garantido”, um método segundo o qual é possível ter um controle maior sobre o orçamento de cada projeto. Ao utilizar essa prática, fica estabelecido que sempre que a construtora superar os gastos previstos no contrato, fica a cargo desta bancar os valores excedentes.

Assim que a JHSF passou a investir na área da incorporação, a estratégia inicial foi investir nos edifícios comerciais. Com o passar do tempo, ao ganhar mais experiência nesse mercado, a empresa começou a focar na construção de shopping centers, com diversos projetos na capital e no interior de São Paulo, incluindo o Shopping Metrô Santa Cruz e o Shopping Cidade Jardim.

No caso do Shopping Cidade Jardim, que se encontra dentro do complexo do Parque Cidade Jardim, este é considerado como um projeto especial para a incorporadora pois a colocou de forma definitiva na área da incorporação de luxo, que impulsionou os negócios de maneira sem precedentes. Com esse projeto, a JHSF conquistou lucros acima das expectativas, através da construção do shopping e também dos outros estabelecimentos no espaço, que incluem edifícios comerciais, prédios residenciais, uma sede do hotel Fasano, academias, restaurantes de primeira linha e mais, em uma grande área com cerca de 80 mil metros quadrados de extensão.

Ao iniciar a construção do Parque Cidade Jardim, a JHSF utilizou como inspiração os grandes complexos de luxo há anos muito comuns no exterior, que são chamados de “empreendimentos multifunções”. O maior incentivador desse projeto foi o filho de Fabio Auriemo, José Auriemo Neto, que desde a aposentadoria do pai exerce o cargo de presidente da empresa. Para tal, ele foi capaz de identificar uma grande demanda por um complexo desse porte na capital paulista, apesar de alguns especialistas na área terem expressado opiniões contrárias.

Mais recentemente, a empresa ainda permanece investindo no mercado de luxo, mas também expandiu seus campos de atuação, tendo se dedicado a incorporação de imóveis para as classes baixa e média, um setor que há alguns anos tem tido um bom potencial de crescimento.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *