Especialistas dão dicas para quem deseja abrir o próprio negócio

Quem abre o próprio negócio carrega consigo o desejo de ter maior autonomia financeira, além de não ser empregado de terceiros. Junto com a liberdade alcançada, empreender também requer uma série de responsabilidades e algumas regras que devem ser observadas antes mesmo que uma empresa inicie suas atividades. De acordo com Fabiano Nagamatsu, que presta consultoria no Sebrae, alguns brasileiros estão tão concentrados na missão de fazer com que o empreendimento dê certo, que acabam errando em assuntos essenciais.

Caroline Caracas, da Marketing Minds, alerta para os perigos que a falta de planejamento pode trazer. Segundo ela, que também é coach do ramo empresarial e membro do Programa Empreenda-se, a falência pode estar mais próxima do que se imagina, caso o negócio não seja baseado em um modelo adequado. A flexibilidade é um elemento crucial para que problemas inesperados não comprometam os passos estabelecidos, analisa Caroline.

O conhecimento acerca do mercado que se pretende entrar foi citado pela coach como uma das tarefas básicas para quem almeja iniciar uma empresa. Ideias aparentemente geniais e com grande promessas de lucratividade podem representar uma armadilha. Saber em que estado se encontra o segmento desejado dará uma clara noção se de fato valerá a pena os esforços empregados em determinado empreendimento, destaca a profissional. Uma pesquisa sobre as necessidades locais pode dar sinais do que está faltando em um determinado ramo, alerta Caroline.

O futuro empreendedor não deve achar que sua rotina como patrão será algo fácil de se lidar, uma vez que não há substituto para o dono da empresa, pondera Nagamatsu. Ele ressalta que alguns podem ignorar a enorme carga de trabalho originada pela abertura da empresa, o que acaba causando um verdadeiro colapso. O gerente do Ibmec, responsável pelo setor de empreendedorismo e internacionalização do instituto, aponta para a importância de se ter uma visão realista do segmento escolhido, bem como do próprio negócio.

Mais uma vez, a questão do planejamento é levantada por Caroline ao afirmar que todos os gastos inerentes ao funcionamento da empresa devem ser criteriosamente analisados. A necessidade de crédito pode ser um entrave ao bom andamento dos negócios em fase inicial, alega Nagamatsu. Ribeiro também sinaliza que a capacidade do empreendimento gerar lucro só virá após um período de tempo, havendo a demanda do empresário conseguir se manter de forma independente enquanto não dispõe dos dividendos.

Como ocorre com empresas de grande porte, mais que anunciar seus produtos e serviços, é preciso empreender esforços para que se conquiste um número crescente de clientes, informa Caroline. A coach ressalta que, nos dias atuais, o empreendedor pode contar com o marketing digital, uma modalidade que permite até mesmo a eliminação de intermediação de outros profissionais, o que não dispensa a aplicação dos esforços de quem deseja empreender.

 

Saiba mais

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *