Sergio Cortes noticia sobre a prevenção da osteoporose com Vitamina D

No Instituto de Ortopedia e Traumatologia, os pacientes atendidos com quadro de doenças osteometabólicas, como por exemplo, osteopênia ou osteoporose, que consiste no começo de uma perda de massa óssea, iniciam um tratamento com reposição de vitamina D para evitar novas fraturas, melhorar o equilíbrio e estimular a força muscular, informa o ortopedista Sergio Cortes.

A diminuição contínua de massa óssea, somada a uma alteração do equilíbrio e a fraqueza dos músculos são sintomas muito comuns que vão chegando com o passar da idade. De acordo com os especialistas em reumatismo, os homens geralmente apresentam um quadro de perda de massa óssea que ocorre mais tarde, porém, tanto os homens como as mulheres estão propensos a essa perda óssea.

Entre a população brasileira, quase 40% das mulheres e 20% dos homens com idade acima de 45 anos, apresentam quadro de osteoporose, noticia Sergio Cortes. O exame de imagem que precisa ser feito nesses casos é o de densitometria óssea, considerado a maneira mais eficiente de mostrar com precisão o grau de perda óssea. Quando a perda é entre 10 e 25%, o paciente é diagnosticado como osteopênico, um grau intermediário. Já quando a porcentagem, é superior a essa, os pacientes são considerados osteoporótico, uma situação mais delicada.

Atualmente, no Instituto de Ortopedia, existe um protocolo de repor a vitamina D para os pacientes que apresentam osteoporose e também para quem possui osteopenia, que consiste em um tipo de fratura por fragilidade, reporta o ortopedista Sergio Cortes. De acordo com os especialistas, são realizados exames que permitem descobrir a dosagem ideal de vitamina D e, conforme os resultados obtidos, descobrir qual a reposição de hormônio necessária. Quando os valores são muito baixos, os médicos costumam receitar doses substanciais por um período de 6 a 8 semanas. Passado esse tempo, é feita uma manutenção periódica com uma dosagem menor.

Essa reposição da vitamina D auxilia na prevenção de fraturas, melhora o equilíbrio e também a força dos músculos. Não são todos os pacientes que precisam repor, mas é muito importante realizar os exames preventivos para avaliar o estágio de perda de massa óssea, noticia Sergio Cortes. As mulheres devem fazer o exame de densitometria antes de entraram na pré-menopausa, enquanto os homens precisam realizá-lo por volta dos 65 anos de idade. Pacientes que apresentam fatores de risco também precisam estar atentos a isso, pois o diagnóstico feito precocemente é essencial para manter uma boa qualidade de vida.

A consequência de uma possível fratura por osteoporose em um idoso podem ser muito mais sérias do que as pessoas imaginam. Cerca de 20% dos casos levam ao óbito, enquanto de 25 a 30% desenvolvem quadros com sequelas graves e não conseguem retomar as suas atividades normais. Os especialistas ressaltam ainda a grande importância das atividades físicas, de uma boa alimentação e também de uma exposição ao sol nos horários adequados, pois essas medidas são capazes de ajudar na prevenção e na manutenção de uma boa quantidade de massa óssea, noticia o ortopedista Sergio Cortes.

 

Fonte

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *