3 palavras (e 1 filósofo!) na vida do empreendedor

Você se sente motivado, com visão para crescer economicamente? Sente que seu negócio terá mais chances frente aos concorrentes sempre que cumprir a missão de apresentar novidades ao mercado? Realmente sente que seu empreendimento não é apenas um meio de faturar, mas uma alternativa para cultivar valores e melhorar a vida do seu entorno? Então veja como seu modo de pensar se relaciona com a filosofia de Adam Smith!

A visão do empreendedor

A visão empreendedora está ligada ao sucesso no mercado e ao melhor posicionamento possível dentro dele. Foi assim que o economista e filósofo escocês defensor do livre comércio entendeu a busca pelo crescimento no mundo dos negócios.
Considerado o pai da economia moderna, Adam Smith (1723-1790) é celebrado pela obra “A riqueza das nações”. Sua investigação ressalta que o crescimento econômico de cada país é fruto da ação do trabalho de indivíduos motivados pelo crescimento próprio, pois promovem, de acordo com sua tese, o desenvolvimento econômico e a inovação da tecnologia.

 

Você se reconhece assim, atuante como parte de um todo? Não é à toa que empreendedores em conjunto são recorrentemente relacionados como grandes motores da economia nacional em um cenário onde cada vez mais gente se dedica ao próprio negócio, com olhos para o futuro!

 

A missão do empreendedor

 

Sabe aquela sensação gratificante de que sua empresa oferece os produtos certos, que atendam às necessidades do cliente? Aquela sensação de um propósito maior para seu lugar no mundo dos negócios?! Pois, é! O velho Adam também viu isso no seu espírito empreendedor!

 

Ele constatou que o empreendedor também colabora para o bem da sociedade, mesmo enquanto atua em prol dos próprios interesses. Assim, em uma competição livre, cada empreendedor melhora sua atuação para conquistar espaço e reconhecimento, favorecendo naturalmente o bem-estar social ao ofertar produtos mais competitivos ao mesmo tempo em que atende satisfatoriamente às necessidades do público.

 

Sua missão como empreendedor, portanto, ao se consolidar no mercado, poderá melhorar também a sociedade, aos olhos do nosso filósofo economista.

 

Os valores do empreendedor

 

Com tantas notícias de corrupção hoje em dia, ressalta-se a preocupação com a crise ética. No mundo dos negócios, ela tem aparecido pelo termo Compliance, que define o atendimento das leis, dos regulamentos e das boas práticas do mercado.

 

Por trás disso, está a consciência moral, tratada por Smith na “Teoria dos sentimentos morais”. O livro aborda a formação dos juízos morais e sua função social como mediadora em relação aos interesses próprios, propondo uma simpatia, que coloca cada um no lugar do outro, reconhecendo a necessidade da moralidade consciente a favor do bem comum. É a atitude de fazer o certo, onde prevaleça a melhor relação para todos. E o empreendedor, como se vê na teoria, é agente influenciador nesse contexto.

Em geral, empresas definem sua missão, visão e valores com olhares mais pragmáticos ao negócio. Contudo, é possível ir além: fazer valer o espírito empreendedor da inovação constante e propor um novo olhar para um futuro mais ético sem deixar de crescer economicamente!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *