Empreender é revolucionar

O empreendedorismo conta com a capacidade individual de inovar, surpreender e acima de tudo realizar, o que para muitos é apenas uma vaga ideia de sucesso, para outros torna-se a chave de uma mudança radical. A ideia seguida imediatamente de ação, retirar do papel e por em prática sonhos, metas e projetos, contudo ações que tragam algum beneficio a sociedade e até mesmo desenvolvimento individual, seja este financeiro ou em termos de aprendizado e experiencia.

O economista austríaco Joseph A. Schumpeter, no livro “Capitalismo, socialismo e democracia”, publicado em 1942, associa o empreendedor ao desenvolvimento econômico. Temos essa associação presente ao fato crescente nos dias atuais, de cada vez mais pessoas que perdem seus empregos, partirem nessa jornada buscando soluções que tragam retorno financeiro imediato e supra necessidades pessoais e coletivas.

Dicas importantes ao iniciar essa jornada é ter como base a informação, definir prioridades, saber o que está sendo discutido na mídia, o momento vivido pela economia local e mundial, quais são as atividades crescentes e lucrativas, quais os meios que mais se adequam as necessidades de cada um, geralmente buscando inovar/modificar algo existente, transmutando aquilo para algo atrativo e lucrativo.

Conforme podemos ler no artigo

“Para começar, defina o seu público e entenda o que ele quer. Aquela vontade de oferecer um pouco de cada coisa e atender a todos ao mesmo tempo deve ser deixada para trás”

É imprescindível uma análise de mercado e critério estipulados para ter segurança e não cair em armadilhas que podem levar seu projeto ao buraco literalmente. Empreendedorismo não deve ser restrito a empresas ou empresários, um funcionário deve ser empreendedor em suas atitudes, qualquer pessoa que busque novos horizontes nos negócios e projetos bem sucedidos são sem dúvidas empreendedores, que podem buscar soluções práticas e rentáveis para qualquer situação.

Outro fator importante a ser mencionado é o aumento constante das franquias, um método eficaz para quem pretende começar a carreira de empresário, com condições já estabilizadas e seguras, tendo assim garantia de retorno, posto que a marca já é conhecida no mercado, há assistência financeira, logística e etc, além de suporte tecnológico e meios de propaganda. Claro não podemos descartar as desvantagens também, assim como a rigidez dos meios de negócio, impossibilitando implementações de novas ideias, propagandas e até menos novos produtos, a base pré estabelecida pela marca deve ser seguida a risca, inclusive nos pagamentos de taxas e royalties, independente do número de vendas. É algo a se pensar e pesar afinal continua-se um funcionário de outrem de qualquer forma.

 

O empreendedorismo visionário de Duda Melzer

Eduardo Sirotsky Melzer ou como conhecido, Duda Melzer, é atualmente um dos maiores empreendedores do Brasil. Seu avô, Mauricio Sirotsky Sobrinho fundou em 1957 o grupo RBS que hoje é o maior conglomerado de mídia do Rio grande do sul. Duda Melzer, iniciou no grupo RBS em 2004, em 2008 começou a atuar como vice-presidente de Mercado e Desenvolvimento de Negócios, 2010 como vice-presidente do grupo RBS e numa carreira meteórica, 2012 se tornou o chairman e presidente do grupo RBS recebendo o bastão do seu tio Nelson Sirotsky.

 

Duda Melzer se formou em administração pela PUCRS e possui sólida formação norte-americana com seu MBA pela Harvard Buzines School. Nos Estados Unidos, foi diretor-geral da Box Top Media e analista sênior da Delphi Corporation, situada em Nova York.

 

Mas foi na década de 90 que Duda Melzer estreou como empreendedor abrindo uma loja de balas e importados que cresceu a ponto de ter quatro filiais, cinquenta funcionários e diversos franqueados. Inovando um serviço no Brasil onde o cliente escolhia os doces e pesava: “Foi uma responsabilidade bárbara, tinha quatro lojas próprias, 50 funcionários e um monte de franqueados. Assumi uma responsabilidade muito à frente do meu tempo ou do que as pessoas esperavam para um jovem” – citou.

 

No dia 12 de janeiro de 2017, Quinta feira, ele exaltou em seu twiter sete jornalistas do grupo RBS entre os 10 mais premiados da região sul no ranking da Jornalista&Cia. Acredita que o domínio da gestão humana é essencial para a maior extração das capacidades individuais de cada funcionário, não os enxergando como meros números, e sim pessoas que devem ser inspiradas a se apaixonar pelo que faz e que podem produzir muito mais se tiverem suas maiores aptidões desenvolvidas ou realocadas onde suas habilidades podem ser melhores aproveitadas.

 

Conseguiu dar continuidade aos negócios da família, o grupo RBS, que se consolida cada vez mais como uma das empresas de comunicação de mais notoriedade no cenário brasileiro contando hoje com 12 emissoras afiliadas a rede globo, 15 de rádio e três jornais.

 

Duda Melzer fundou a e.Bricks Ventures do Grupo RBS, uma empresa de desenvolvimento de negócios no setor digital com investimentos estratégicos, apostando em empresas que estão em estágio de crescimento acelerado. Em 2016 a e.Bricks Ventures anunciou que pretende investir R$300 milhões em Startups em empresas no segmento da Saúde, serviços financeiros e educação. Tais recursos estão sendo captados tanto no Brasil como no exterior.

 

Esse é o segundo fundo levantado pela e.Bricks.O primeiro foi injetado em 2013 beneficiando 16 empresas. Tal investimento teve expressivo sucesso, como a ZoeMob uma empresa localização de familiares via GPS, a empresa EmpregoLigado, um serviço se vagas, organizado por geolocalização e a AppProva para avaliar e melhorar o desempenho de estudantes.

 

Em junho de 2016 ele participou do Lide SC, que reuniu os maiores SEO do estado, junto com Wilfredo Gomes, presidente do LIDE SC, onde realizou a palestra “Liderar e construir oportunidades em tempos de crise” ocorrida no hotel Majestic em Santa Catarina.

 

 

 

Empreendedorismo para transformar vidas: o papel das cooperativas

O que lhe vem à mente ao pensar em empreendedorismo? A figura de alguém determinado a assumir riscos em um mercado disputado? Um capitalista que sabe gerir habilmente seus recursos? Um visionário que identifica uma oportunidade e a transforma em lucro? Certamente sim… Mas poucos pensariam em “cooperativas”. Fato é que elas estão mesmo entre os empreendimentos econômicos de grande importância social. Saiba quais são suas principais características e como se formam as cooperativas.

O conceito das cooperativas

Pode-se pensar em um empreendedor solitário, exceto no caso de uma cooperativa. Seu nome sugestivo evidencia tratar-se de uma coletividade. Cada cooperativa é constituída autonomamente como uma empresa de propriedade coletiva, não só com interesses econômicos, mas também com anseios culturais e sociais comuns aos membros cooperados. Seu aspecto transformador está no equilíbrio entre o resultado econômico e o social, tendo caráter de participação voluntária e gestão democrática.

O cooperativismo hoje

De acordo com a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), o cooperativismo emprega cerca de 250 milhões de pessoas no mundo. No Brasil, é uma das apostas do Governo Federal frente às dificuldades econômicas atuais. Recentemente, o deputado Osmar Serraglio, presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop) ressaltou em uma entrevista a importância das cooperativas para o ano de 2017, apresentando os sucessos no Congresso Nacional para apoiar o setor, que é determinante para atender em simultâneo políticas econômicas e sociais.

Ramos do cooperativismo

O empreendedor com ambições sociais facilmente se fideliza às atividades cooperativistas. Presentes nas áreas urbanas e rurais, as cooperativas atuam em diversos setores da economia, tendo como foco as pessoas. Conheça seus principais ramos de atividade:

 

  • Agropecuário
  • Consumo (compras em comum)
  • Crédito (soluções aos cooperados)
  • Educacional
  • Especial (pessoas com necessidade de tutela)
  • Infraestrutura (serviços essenciais)
  • Habitacional
  • Produção (artesanais ou industriais)
  • Mineral (de toda cadeia do processo)
  • Trabalho (profissionais de mesma categoria)
  • Saúde (sendo o Brasil forte referência)
  • Turismo e lazer
  • Transporte (cargas ou passageiros)

Formando uma cooperativa

Já escolheu seu ramo de atividade? É hora de agrupar sua turma e constituir um empreendimento coletivo, para o bem da comunidade.

Sistema OCB

  1. Reúna ao menos sete pessoas interessadas, a depender do ramo, para definir os objetivos e os recursos para desenvolver a atividade. É importante definir o plano de negócio ou ainda localizar uma cooperativa que já responda por atividades similares às necessidades de seu grupo, podendo, assim, aderir àqueles cooperativistas;
  2. Defina o regimento interno e o estatuto social entre os fundadores, definindo a sede, a distribuição de cotas, a movimentação e as funções de cooperados;
  3. Formalize a cooperativa convocando a Assembleia de Constituição, com eleição de dirigentes, conselho e redação da ata. Com assessoria de um advogado, reúna os documentos para registro em dois órgãos: a Junta Comercial do Estado e a Receita Federal. Maiores detalhes podem ser verificados no Sistema OCB.

Pronto para o sucesso mais sustentável e justo? Constituindo sua cooperativa, estará gerando trabalho e renda enquanto garante o bem social.

3 palavras (e 1 filósofo!) na vida do empreendedor

Você se sente motivado, com visão para crescer economicamente? Sente que seu negócio terá mais chances frente aos concorrentes sempre que cumprir a missão de apresentar novidades ao mercado? Realmente sente que seu empreendimento não é apenas um meio de faturar, mas uma alternativa para cultivar valores e melhorar a vida do seu entorno? Então veja como seu modo de pensar se relaciona com a filosofia de Adam Smith!

A visão do empreendedor

A visão empreendedora está ligada ao sucesso no mercado e ao melhor posicionamento possível dentro dele. Foi assim que o economista e filósofo escocês defensor do livre comércio entendeu a busca pelo crescimento no mundo dos negócios.
Considerado o pai da economia moderna, Adam Smith (1723-1790) é celebrado pela obra “A riqueza das nações”. Sua investigação ressalta que o crescimento econômico de cada país é fruto da ação do trabalho de indivíduos motivados pelo crescimento próprio, pois promovem, de acordo com sua tese, o desenvolvimento econômico e a inovação da tecnologia.

 

Você se reconhece assim, atuante como parte de um todo? Não é à toa que empreendedores em conjunto são recorrentemente relacionados como grandes motores da economia nacional em um cenário onde cada vez mais gente se dedica ao próprio negócio, com olhos para o futuro!

 

A missão do empreendedor

 

Sabe aquela sensação gratificante de que sua empresa oferece os produtos certos, que atendam às necessidades do cliente? Aquela sensação de um propósito maior para seu lugar no mundo dos negócios?! Pois, é! O velho Adam também viu isso no seu espírito empreendedor!

 

Ele constatou que o empreendedor também colabora para o bem da sociedade, mesmo enquanto atua em prol dos próprios interesses. Assim, em uma competição livre, cada empreendedor melhora sua atuação para conquistar espaço e reconhecimento, favorecendo naturalmente o bem-estar social ao ofertar produtos mais competitivos ao mesmo tempo em que atende satisfatoriamente às necessidades do público.

 

Sua missão como empreendedor, portanto, ao se consolidar no mercado, poderá melhorar também a sociedade, aos olhos do nosso filósofo economista.

 

Os valores do empreendedor

 

Com tantas notícias de corrupção hoje em dia, ressalta-se a preocupação com a crise ética. No mundo dos negócios, ela tem aparecido pelo termo Compliance, que define o atendimento das leis, dos regulamentos e das boas práticas do mercado.

 

Por trás disso, está a consciência moral, tratada por Smith na “Teoria dos sentimentos morais”. O livro aborda a formação dos juízos morais e sua função social como mediadora em relação aos interesses próprios, propondo uma simpatia, que coloca cada um no lugar do outro, reconhecendo a necessidade da moralidade consciente a favor do bem comum. É a atitude de fazer o certo, onde prevaleça a melhor relação para todos. E o empreendedor, como se vê na teoria, é agente influenciador nesse contexto.

Em geral, empresas definem sua missão, visão e valores com olhares mais pragmáticos ao negócio. Contudo, é possível ir além: fazer valer o espírito empreendedor da inovação constante e propor um novo olhar para um futuro mais ético sem deixar de crescer economicamente!

Ricardo Tosto reporta sobre as empresas brasileiras que estão no radar da justiça dos EUA

Os desdobramentos das operações Lava Jato e Zelotes podem trazer consequências inesperadas para algumas empresas nacionais, que ultrapassam as fronteiras brasileiras. As companhias investigadas correm o risco de ficar sob a mira de órgãos regulatórios internacionais, reporta o advogado Ricardo Tosto. Entre os exemplos atuais de maior destaque, estão a Eletrobrás e o banco Bradesco, porém, outras empresas como a Petrobrás e a OAS já enfrentaram situações semelhantes.

 

O fato de realizar captações de recursos no exterior faz com que as empresas tenham mais obrigações a seguir. Isso significa que as empresas que possuem uma atuação em escala global precisam estar cientes da necessidade de seguirem as leis do Brasil, e também as leis de outras partes do mundo.

 

No caso da Eletrobrás, a empresa tem o risco de ser excluída da Bolsa de Nova York, e já presenciou as negociações de seus papéis terem sido suspensos por não terem entregado o balanço auditado do ano de 2014, uma exigência da SEC, principal agência reguladora do mercado financeiro norte-americano, informa o advogado Ricardo Tosto.

 

Segundo avaliação de Hsia Sheng, professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a situação delicada da Eletrobrás perante os órgãos regulatórios dos Estados Unidos ainda está longe de um final. De acordo com ele, a falta de transparência e organização da empresa acabou fazendo com esta ficasse no radar da justiça norte-americana de agora em diante.

 

O algo nível de exigências nas agências reguladoras dos Estados Unidos é resultado de um cenário jurídico já bastante consolidado no combate à corrupção que existe no país, noticia o advogado Ricardo Tosto. A legislação norte-americana referente a corrupção, chamada de Foreign Corrupt Practices Act (FCPA), foi criada no ano de 1977 e é referência internacional no tema, sendo assim mais amadurecida do que a legislação brasileira.

 

Essa situação pode fazer com que as companhias brasileiras avancem em suas ferramentas de compliance. Ao serem punidas em outros países, essas empresas perceberão a importância da realização de auditorias em todos os países em que possuem operações ativas, e a necessidade de adaptar essas operações de acordo com as leis internacionais.

 

Mas além do objetivo de combater atos ilícitos, os juristas acreditam que o alto padrão de rigor adotado pelas autoridades internacionais está diretamente relacionado as disputas de mercado, reporta o advogado Ricardo Tosto. De acordo com o advogado Jorge Nemr, sócio do escritório Leite, Tosto e Barros, as empresas que estão envolvidas em escândalos de corrupção possuem mais vantagens competitivas no mercado do que as demais companhias, o que impulsiona as legislações estrangeiras a identificarem essas empresas e impedirem que isso aconteça.

 

Ainda segundo Jorge Nemr, a operação Zelotes terá um impacto ainda maior do que o esperado no exterior pelo fato de envolver setores distintos do mercado. Por todas essas razões, não adotar as normas e procedimentos de fiscalização internacional resulta em uma grande perda de competitividade, informa o advogado Ricardo Tosto, pois não agir de acordo com as normas locais e internacionais, dificulta a sobrevivência de uma empresa no mercado.

 

Do youtube para o Brasil

Do youtube para o Brasil

O youtube é um site que permite aos usuários fazerem postagens de videos em formato digital. Fundado em 2005, é destaque entre os sites hoje existentes. Quem cria um canal no youtube chama-se youtuber. Esse mercado movimenta milhões no momento atual em todo o mundo. Pessoas visionários que utilizam esse site vem ganhando espaço no mercado e fazendo sucesso. No Brasil não poderia ser diferente. Nos dias que correm podemos citar como grandes nomes do youtube brasileiro: Kéfera Buchmann,Whindersson Nunes,Júlio Cocielo,Pedro Rezende,Iberê Thenório,Felipe Neto,Eduardo Faria e Christian Figueiredo, entre outros. Os canais Whindersson Nunes (que recebe o nome de seu criador), Porta dos Fundos, Canal Canalha, 5inco Minutos, Rezende Evil, Parafernalha, Canal KondZilla, Nostalgia, entre outros, já caíram no gosto popular. São milhões de visualizações diariamente, vários inscritos e muitas curtidas. Quem parte por esse caminho pode ser considerado um grande empreendedor, pois este é um mercado que só tende a crescer ao longo do tempo. Os temas são os mais variados possíveis, para todos os tipos de público, desde crianças até idosos. Canais que falam de humor, música, jogos, culinária, etc. Dá para se passar horas e horas na telinha só assistindo a vídeos do youtube. A televisão e o rádio, que antes eram os meios de comunicações mais usados, vão cada vez mais perdendo espaço. Kéfera Buchmann é a mente por trás da criação do popular canal 5inco Minutos, atualmente com mais de 10 milhões de inscritos. De Curitiba para todo o Brasil, a jovem viu as portas se abrirem através do youtube. Hoje com dois livros lançados com sucesso, filmes com grande bilheteria, a atriz, dubladora, apresentadora, vlogueira e youtuber possui milhões de fãs de Norte a Sul do Brasil e até mesmo no exterior, com seguidores em Portugal por exemplo. Seu canal tem fins humorísticos e agrada principalmente aos jovens. Kéfera se tornou sinônimo de empreendedorismo na internet. Já foi inclusive considerada uma das jovens mais promissoras do nosso país. O primeiro vídeo do seu canal intitulava vuvuzela e a partir dele Kéfera se tornou influência. Tem em seu currículo várias participações em outros canais conhecidos. A jovem lançou uma loja online de produtos personalizados. Sem sombra de dúvidas um exemplo para quem deseja se tornar empreendedor através da internet. Whindersson Nunes é outro exemplo de empreendedorismo na internet, seu canal ultrapassa os 16 milhões de inscritos. O jovem comediante, vlogueiro e youtuber é febre na rede. Do Piauí para o mundo inteiro, tem seu nome na lista dos maiores youtubers. Em 2016 foi vencedor em duas categorias dos meus prêmios nick. É considerado uma das personalidades brasileiras mais influentes. Whindersson alcançou números extraordinários com seu talento para entreter e hoje é exemplo para milhares de jovens. A cada dia novos talentos surgem no youtube, mostrando perspicácia, para ganhar admiradores e lucrar com seu trabalho. A mistura do sucesso é simples, câmera na mão e habilidade, vocação para agradar e inteligência para se manter no auge. Para saber um pouco mais sobre o assunto acesse também: http://top10mais.org/top-10-maiores-canais-brasileiros-do-youtube/

 

Conheça as 5 Franquias que Serão Tendência em 2017

Abrir um negócio próprio e trabalhar para si mesmo é uma resolução de ano novo muito comum, mas como escolher o negócio ideal?
Adquirir uma franquia é uma opção de investimento para quem quer apostar em produtos ou serviços já conhecidos e estabelecidos no mercado. Além disso, o sistema de franquias oferece um modelo de negócio pronto, o que é ideal para os empreendedores iniciantes. Conheça cinco ideias de negócios que, segundo os especialistas, estarão em alta em 2017:

1 – Manutenção e Conserto de Veículos
Com a crise financeira, a venda de veículos diminuiu em 20% no ano de 2016, por este motivo, a procura por serviços automotivos aumentou. O brasileiro agora prefere investir na conservação do seu próprio veículo do que realizar a troca e adquirir uma dívida.
2 – Alimentação Saudável
Com cada vez menos tempo para cozinhar, as pessoas estão sempre em busca de opções práticas de alimentação para o dia a dia. Um restaurante ou serviço de entrega de comida são opções excelentes que acompanham esta necessidade crescente, entretanto, a alimentação saudável é uma tendência ainda maior, que pode e deve ser aproveitada pelos empreendedores.
3 – Serviços Domésticos
Manter funcionários para fazer as tarefas domésticas é um hábito comum no Brasil, mas a tendência é que esta prática diminua, tendo em vista que os custos para manter um trabalhador doméstico estão cada vez maiores. Serviços de lavanderia e limpeza tiveram um crescimento na demanda e devem continuar assim para o ano de 2017.
4 – Serviços de Beleza
Serviços de qualidade ainda são difíceis de encontrar e os serviços de beleza permanecem um mercado estável mesmo durante a crise, boa localização e excelência na prestação de serviços são garantia de um diferencial neste mercado. Pode-se observar também um crescimento nos serviços de beleza para homens, como de barbearia e depilação, tendência que pode se manter neste ano.
5 – Educação e profissionalização
Para se manter atualizado ou buscar uma nova posição no mercado de trabalho, a busca por qualificação profissional deve ser constante e, com a dificuldade em encontrar tempo para estudar, muitos profissionais estão optando por estudar on-line, adquirindo cursos profissionalizantes, de idiomas ou de atualização em suas áreas de atuação.
A integração do estudo com a tecnologia já deixou de ser uma tendência e hoje é uma diretriz estabelecida para os cursos formais e informais que são oferecidos no mercado.

Depois de escolher o ramo com o qual o empreendedor mais se identifica, resta analisar as opções disponíveis no mercado, sempre com aconselhamento profissional, e se preparar para mudar de vida em 2017.

Referências:
http://exame.abril.com.br/pme/12-tendencias-de-franquias-para-ficar-de-olho-em-2017/
http://exame.abril.com.br/pme/10-ideias-de-negocio-que-tem-tudo-para-dar-certo-em-2017/
http://economia.uol.com.br/empreendedorismo/noticias/redacao/2017/01/04/quer-abrir-uma-franquia-em-2017-consultor-lista-6-sugestoes-de-negocios.htm

Conheça a história da Mullen Lowe, empresa criada pelo publicitário José Borghi

A Mullen Lowe Brasil, antiga Borghi Lowe começou, literalmente, no quintal da casa de um dos seus criadores. O negócio surgiu de uma parceria entre dois criativos na DM9DDB, Erh Ray e José Borghi. Ambos deixaram carreiras já consolidadas – com grandes campanhas no currículo, como a dos mamíferos de pelúcia da Parmalat, por exemplo – para tentar fazer dar certo a ideia de começar uma agência de publicidade, que teve sua primeira sede no quintal da casa de Erh Ray. Sem a ajuda de financiamentos, investidores ou bancos, a Borghierh, como foi nomeada, nasceu de um ato de coragem e ousadia.
Em 2002, estavam abertas as portas do tímido escritório de quintal, mas que já contava com clientes de peso – como era o caso do Shopping Iguatemi, Ox e Matec. O planejamento rigoroso, o foco nos resultados e a relação estreita com os clientes, renderam a confiança de mais marcas para a Borghierh. Com muito trabalho e dedicação, a que hoje, depois de muitas transformações, é a atual Mullen Lowe conquistou destaque no mercado.
Foi em 2006, já com quatro anos de estrada, que a empresa ganhou a atenção do terceiro maior grupo de publicidade do mundo: a Interpublic Group (IPG). Foi nesse mesmo ano que a fusão com a Lowe do Interpublic aconteceu e a Borghierh, atual Mullen Lowe, passou a acrescentar o nome Lowe no final.
A ex empresa de quintal seguiu evoluindo – a receita líquida do ano de 2009, se comparada à de 2008, cresceu 98%. Foram arrecadados mais de 634 milhões de reais somente em 2009. De acordo com uma pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope), uma das maiores empresas de pesquisa de mercado da América Latina, a agência chegou ao quarto lugar entre as maiores empresas de publicidade e propaganda.
Algum tempo depois Erh Ray tornou-se ex-sócio da empresa e a Borghierh mudou de nome mais uma vez – passou a se chamar Borghi Lowe, agora no comando exclusivo de José Borghi. O crescimento seguiu, e a empresa adquiriu outros clientes importantes como a Caixa Econômica Federal, Uol, Ministério da Saúde, Ericson e Unilever.
O publicitário José Borghi, em pesquisa feita pela revista GO Brasil, estava entre os vinte executivos mais influentes do ramo da publicidade e propaganda. Não à toa, no currículo de Borghi estão 14 leões do Festival de Cannes, sete estatuetas do London Festival, quinze premiações da Abril Publicidade, dez prêmios The One Show, onze prêmios no The New York Festival e, em 2014, o prêmio agência do ano no Festival Brasileiro de Publicidade.
Outras mudanças aconteceram na história da Borghi Lowe, mais recentemente. Devido a fusão entre a Mullen e a Lowe&Partners, a agência passou a se chamar Mullen Lowe. A mudança do nome faz parte de uma exigência do grupo Interpublic. José Borghi passou a atuar no cargo de CEO da empresa, juntamente com o publicitário brasileiro André Gomes. Este cuida da parte gerencial, já Borghi atua na inovação e criatividade da Mullen Lowe.

 

5 Passos para o sucesso!

Vemos diariamente notícias sobre grandes empreendedores de sucesso e com certeza ficamos nos perguntando o que podemos fazer para nos tornamos notáveis empreendedores?! pois bem, irei lhe ajudar nisso. lhe mostrarei um guia de cinco passos que com certeza aumentara e muito a suas chances de sucesso!

Primeiro Passo: Disciplina, um mal necessário.

Na maioria das vezes ficamos estressados em nossos empregos por termos que seguir tantas normas e regras e quanto seria divertido se fôssemos nosso próprios patrões! aqui vai o primeira dica: NÃO SE ILUDA. Apesar de não parecer mais o empreendedor deve ser o primeiro a acordar e o ultimo a sair, ter disciplina para programar e efetuar suas tarefas diárias e supervisionar seu negócio 24/7.

Segundo Passo: Seja líder, não chefe!

Nenhum, repito, NENHUM funcionário gosta de ouvir de seu chefe a frase, “faça isso pq estou mandando”. Se você o do tipo de pessoa que pensa em montar um negocio para poder ter a sensação de poder, vou lhe contar um segredo! VOCÊ esta no caminho certo para o fracasso! lembre-se sempre que você será a inspiração para seus subordinados e quanto mais eles lhe adorarem com mais vontade iram desempenhar suas atividades e aumentarem sua produção e consequentemente mais dinheiro no seu bolso! Quem foi que disse que ser legal não ganha dinheiro!?

Terceiro Passo: Conhecimento é a nova moeda de troca!

Muitas pessoas acham que saber fazer algo ou ser bom em alguma tarefa é o suficiente para montar seu próprio negocio mas ser um empreendedor é um pouco mais complicado do que isso. É preciso ter conhecimento de mercado, marketing, liderança, legislação e muito mais. Isso só é possível com muito estudo, portanto, busque cursos preparatórios, faça um ciclo profissional para trocar experiências e principalmente esta sempre atualizado as noticias de mercado.

Quarto Passo: Inove o mercado!

Para ser um empreendedor de sucesso não basta apenas ser bom no que faz! Clientes gostam do diferente então busque diferenciar seu serviço, fazer algo que seus concorrentes ainda não fizeram, proporcione um serviço de alta qualidade com custo x benefício atraente e o mais importante, domine o que faz. Esse será um ponto principal para que os clientes em potencial o escolham ao in vez de seus concorrentes!

Quinto Passo: Fazer o que AMA!

De nada adianta você ter disciplina, ser um bom líder, conhecer o mercado na palma da sua mão e ter inventado a maquina do tempo se você não amar o que faz. Você conseguirá ficar no mercado por algum tempo por conta do lado financeiro mas logo logo o seu negocio começará a desmoronar pois o mais importante de ser um empreendedor é poder olhar para tras e ter orgulho do que você conseguiu construir.

esses são os cinco passos fundamentais para ser um empreendedor de sucesso. caso queira saber um pouco mais sobre empreendedorismo clique aqui . Bons negócios e boa sorte.